O jogador de baralho

 

Um dia eu fui a missa cumprindo a obrigação. Não tinha livro de reza, levei meu baralho na mão

Ao entrar na igreja o baralho esparramava. Bem perto de mim, um sargento me olhava

Com pouco tempo na igreja, entraram dois soldados
Eles falaram comigo: Moço você está entimado, o doutor mandou chamar para ser enterrogado

Assim que fui chegando na presença do doutor, ele foi me enterrogando me chamando de pecador
Perguntando se na igreja é lugar de jogador

Então eu respondi pra ele: Vou fazer a explicação, depois de bem explicado o senhor me dará a razão
Em todo baralho tem sincera devoção

Quando eu pego no as, que tem uma pinta somente, lembro que lá no céu só tem um Deus unipotente
Quando chamamos por ele é certo que ele está presente

Quando eu pego num dois, lembro das duas tábuas de pedra que o Criador escreveu
Foi nas salsas ardentes que moisés apareceu

Quando eu pego num três, me lembro de três pessoas da santíssíma trindade
Pai, Filho e Espírito Santo, um só Deus de verdade

Quando eu pego num quatro, quatro de paus é cruzado com quatro espada de dor seus pés foram cravejados
Foi preso sem dever crime e morto sem ter pecado

Quando eu pego num cinco, que cinco pintas contém
Lembro que não se pode desejar falso à ninguém

Quando eu pego num seis, me vem na recordação
Dos seis dias da semana em que Deus fez tudo sem nada por a mão

Quando eu pego num sete, sete de paus e cruzado
Com sete espada de dor Jesus foi crusificado

Quando eu pego num oito, que oito pintas contém
Lembro que Jesus diz: Não faze mal a ninguém

Quando pego num nove, me vem na recordação
Os nove meses de gravidez da divina encarnação, que Jesus passou no ventre da imaculada conceição

Quando pego num dez, lembro dos dez mandamentos
Quem reza será perdoado, cumprindo com o juramento

Quando eu pego na dama, lembro da Virgem Maria
Porque se não fosse ela, ai de nós, que seria

Quando eu pego num rei, logo me vem na memória
Jesus cristo poderoso, o Divino Rei da glória
Que não precisa de força para alcançar a vitória

Foi assim senhor delegado, que eu fui na igreja rezar
Estou as suas ordens, para que o senhor desejar
Ou me prende no xadrez, ou me manda retirar

O delegado pensou......pensou, e ainda achou que perguntar
Porque falou todas as cartas e deixou o valete sem contar


Então respondi pra ele:
Quando eu compro um baralho, no valete eu dou o fim
Porque parece com aquele sargento, que veio dar parte de mim

 

> Ver mais Textos e Crônicas

 

  Compartilhar

 

Envie para um amigo!

 

Voltar